Mostrar mensagens com a etiqueta amazónia. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta amazónia. Mostrar todas as mensagens

26 setembro 2008

1.º Congresso Panamazónico da Maçonaria Acreana

Vai ter lugar hoje, dia 26, e amanhã, dia 27, na cidade de Rio Branco, Estado do Acre, Brasil, o 1.º Congresso Panamazónico da Maçonaria Acreana. Este Congresso insere-se nas comemorações do 35.º aniversário da fundação da Grande Loja Maçônica do Estado do Acre e no 103.º aniversário da criação da Maçonaria Acreana.

A Grande Loja Maçônica do Estado do Acre foi fundada em 20 de Agosto de 1973 e a sua Loja n.º1, a Augusta e Respeitável Loja Simbólica Bandeirantes do Acre foi fundada em 20 de Agosto de 1904 (há 104 anos; mas a própria GLEAC refere que a comemoração é do 103.º aniversário da criação da Maçonaria Acreana, pelo que quem sou eu para corrigir?).


Também se assinalará o 102.º aniversário da criação da Loja n.º 2 daquela Obediência, a Augusta e Respeitável Loja Igualdade Acreana, mediante o descerramento hoje de uma placa alusiva à primeira reunião dessa Loja, fundada em 5 de Maio de 1906, no local onde decorreu a sua primeira reunião, agora instalações de uma empresa de comércio de automóveis da cidade de Rio Branco.


Ainda hoje, pelas 20 horas, ocorrerão, no Teatro Plácido de Castro, localmente conhecido por Teatrão, e no âmbito do Congresso, palestras sobre os temas
Reforma Política e reforma Tributária. Serão palestrantes Jarbas de Melo e Lima, ex-deputado federal do Rio Grande do Sul, e Ário Zimmerman, professor da Universidade Federal de Rio Grande do Sul.

Amanhã, sábado, 27, a partir das 18 horas, na Escola Armando Nogueira, haverá uma cerimónia maçónica, também aberta à sociedade em geral, na qual falará o Sereníssimo Grão-Mestre anfitrião, Luiz Saraiva Correia. A partir das 22 horas, no Clube Maçônico Parque das Acácias, haverá a apresentação dos novos Irmãos Maçons, seguido de jantar dançante.


O
A Partir Pedra deseja que esta iniciativa da Maçonaria Acreana decorra com brilho e seja coroada de êxito.

Esta notícia resulta de informações obtidas nas seguintes fontes:


Jornal eletrónico Página 20

Sítio da Grande Loja Maçônica do Estado do Acre

Portal Pedreiros Livres

Rui Bandeira

15 janeiro 2008

A Maçonaria X Ambiente

Estive estes últimos dias completamente fora do A-Partir-Pedra (claro, já sei que bem podia continuar, obrigado !) mas como o tema Maçonaria versus Ambiente se mantém resolvi incluir mais um apontamento.
De facto tenho mais algumas coisas que gostaria de preparar para ajudar à discussão, mas as coisas têm estado demasiadamente animadas cá pró meu lado, fazendo com que não tenha tido nem disposição, nem concentração, para acompanhar os nossos queridos colaborantes blogueiros (o Rui, o Bandeira, o R.Bandeira, o RB, … uma data deles!).

Entretanto apanhei alguns vídeos sobre a participação dos Maçons brasileiros na defesa da Amazónia.

video

video

A Maçonaria Regular do Brasil, organizada sob o Grande Oriente do Brasil não é de capinar sentada no que se refere à participação política e todos os dias recebo notícias sobre intervenções do GOB e/ou de Lojas estaduais (como eles dizem) em assembleias, comissões de estudo, participação em iniciativas legislativas, sendo que na maioria dos casos a participação é por convite como conselheiros.

As iniciativas de carácter filantrópico são mais que muitas, no ensino, na saúde, no apoio social de toda a ordem sendo responsáveis pela recuperação e manutenção de muitas pequenas povoações onde a vida seria degradante, não fosse a intervenção daqueles nossos Irmãos organizando e mantendo escolas, postos de saúde, pequenas indústrias e pólos de desenvolvimento artesanal.

A intervenção na defesa da Amazónia, que os vídeos retratam, tem uma face de defesa ambiental mas tem, também, uma clara e confessada faceta de defesa da independência territorial.
Para nós e para o tema presente interessa-me a luta declarada pela manutenção da selva amazónica, pulmão de um mundo que está com uma tosse cada vez mais cavernosa e com os pulmões todos infectados.
Vamos a ver se este “antibiótico” ainda vai a tempo.

JPSetúbal